MAX HEINDEL REDIVIVO

 

Uma Pequena Biografia

 

 

 

A Biografia Revisada de Max Heindel, acentua a sua humanidade , resgata a sua origem humilde, e aumenta a nossa admiração por ele. Filho da nobreza, mas da nobreza de espírito, Carl Louis Fredrik Grasshoff recapitulou em uma existência todas as gamas da emoção humana, e em seu processo de individuação em direção ao Self, atravessou sua própria Sombra. Sua obra, todavia incompreendida, é incomensurável.  Foi um dos principais  responsáveis pelo renascimento da Astrologia no Ocidente e o principal   arauto dos Irmãos Maiores da Ordem Rosacruz no início do século XX.

 

Capítulo I

Seus Primeiros Anos

 

CARL, O Filho do Padeiro

 

A Biografia Revisada de Max Heindel, acentua a sua humanidade , resgata a sua origem humilde, e aumenta a nossa admiração por ele. Filho da nobreza, mas da nobreza de espírito, Carl Louis Fredrik Grasshoff recapitulou em uma existência todas as gamas da emoção humana, e em seu processo de individuação em direção ao Self, atravessou sua própria Sombra. Sua obra, todavia incompreendida, é incomensurável.  Foi um dos principais  responsáveis pelo renascimento da Astrologia no Ocidente e o principal   arauto dos Irmãos Maiores da Ordem Rosacruz no início do século XX.

 

O Cio da Terra

(Milton Nascimento e Chico Buarque)

Debulhar o trigo

Recolher cada bago do trigo

Forjar no trigo o milagre do pão

E se fartar de pão

Decepar a cana

Recolher a garapa da cana

Roubar da cana a doçura do mel

Se lambuzar de mel

Afagar a terra

Conhecer os desejos da terra

Cio da terra, a propícia estação

E fecundar o chão

 

 

Arhus, a segunda maior cidade da Dinamarca, onde nasceu Carl Louis Fredrik Grasshoff

 

 

“Tudo tem seu tempo determinado,

 e há tempo para todo propósito debaixo do céu:

Há tempo de nascer, e tempo de morrer;

Tempo de plantar, e tempo de colher...”

- Eclesiastes, Cap.3, vers. 1 e 2

 

 

 

 

Pórtico da Catedral Luterana de Arhus

 

Carl Louis Fredrik Grasshoff nasceu em Arhus, Dinamarca,  em 23 de julho de 1865, no seio da  nobre família   Grasshoff.   Mas a nobreza aqui deve ser vista como um adjetivo e não como um substantivo. Carl Louis era filho de um simples padeiro, que morreu durante a explosão de um boiler quando tinha apenas sete anos. Quanto ao vínculo de sua família paterna  com a Casa Real  Alemã deve ser encarado sob o prisma cronológico e simbólico. Sua família era cristã, de confissão luterana e com pouco mais de três meses, o pequenino Carl, foi batizado na Catedral Luterana de Arhus.

 

Interior da Catedral Luterana de Arhus, onde foi batizado em 15 de outubro de 1865

Tanto o Sol quanto a Lua estão em Leo, em seu mapa, em órbita de conjunção com o Ascendente formando com a Parte da Fortuna um stelium que sinaliza sua missão futura. Todavia ambos luminares ocupando os últimos graus da Casa XII, prenuncia sofrimentos na infância relacionados a perda da figura paterna. Quando o Sol progredido  ( em Leu ) entrou em órbita de quadratura com o M.C. radical ( em Áries ), seu pai morreu durante a explosão de um boiler. Note que o luminar e o M.C. ocupam signos de fogo.

Seu pai morreu quando tinha seis anos de idade, deixando-o com sua  mãe e irmãos em circunstancias muito difíceis.

 

Durante sua  infância, Carl juntamente com sua mãe e seus irmãos viveram  numa extrema, mas digna pobreza.

 

 

Copenhagen, onde cresceu e passou sua infância e adolescência

 

 

Aos oito anos de idade, ainda sob a influencia da quadratura do Sol progredido com o M.C. radical,  Carl sofre um acidente na perna esquerda, provocado durante  brincadeiras com vários   colegas a caminho da escola. A cidade de Copenhagen, onde morava tinha  muitos  canais e valas  com muretas de cada lado,  que eram usados para canalizar água para a irrigação de diferentes partes da cidade. Os meninos começaram a pular sobre aqueles canais , que em alguns locais eram mais largos e  mais fundos.  O pequeno Carl levou um grande tombo ao saltar sobre um destes canais, sentindo uma enorme dor e quebrando o tornozelo da perna esquerda.  Mais tarde foi para o colégio e passou o resto do dia sentindo enorme dor. Em casa, continuou padecendo de  dor a noite inteira,  porém temia contar a sua mãe , porque no dia anterior ao ocorrido, estava com seus colegas  fazendo gazeta.  Na escola, no dia seguinte, uma intensa crise de dor obrigou-o a remover seu sapato.

 

Passou os dezesseis meses seguintes num hospital em Copenhagen. Sua perna foi perfurada abaixo do joelho. Sofreu três  cirurgias, e vários vasos sanguíneos foram removidos, provocando um distúrbio circulatório que o afetaria mais tarde. Sua professora visitou-o diversas vezes, ministrando aulas em sua casa.

 

 

Copenhagen

 

 

 

Mapa da Dinamarca, mostrando Arhus, sua cidade natal e também Copenhagen

 

CONTINUA

 

 

 

 

CORREIO ROSACRUZ

Web Master : Alexandre Passos

alexandrepassos@hotmail.com